Tinta aquarela: tudo o que você precisa saber antes de comprar

Para você mergulhar nessa técnica, conheça a seguir como surgiram as tintas aquarelas e saiba quais são seus tipos.

Com as aquarelas, você pode pintar praticamente qualquer tema. Assim como não são tóxicas, também são fáceis de limpar e, com um planejamento adequado, é possível pintar rapidamente. Então, para você mergulhar nessa técnica, conheça a seguir como surgiu a tinta aquarela e saiba quais são seus tipos.

Qual a origem da técnica da aquarela?

Antes de comparar os diversos tipos de tinta aquarela, precisamos te contar que ela foi criada no século II a.C. e além disso, um dos primeiros trabalhos feitos com tinta aquarela foi registrado no Antigo Egito, conhecido como o “Livro dos Mortos”.

origem da tinta aquarela

Afinal, como surgiu a tinta aquarela?

Os primeiros pigmentos eram feitos a partir de pedras e plantas moídas misturadas com líquidos. Geralmente eles utilizavam óleo, água ou gemas de ovos para dar consistência a tinta. Veja os exemplos:

  • azul ultramar: era feito com o pó de lápis-lazúli;
  • amarelo: obtido por meio de açafrão;
  • marrom: no Egito eles criavam a cor com restos de múmias esmagadas;
  • preto: vinha da madeira queimada e da fuligem;
  • verde: proveniente do cobre;
  • roxo: obtido por meio de conchas moídas.

Tinta aquarela: Popularização da técnica

Inicialmente a tinta aquarela era bastante utilizada para pintar gravuras de forma artesanal em madeira. No entanto, essa técnica de pintura se popularizou apenas no século XV, quando houve o aumento na propagação e circulação do papel.

Na cultura ocidental, há muitos exemplos da utilização da aquarela desde a idade média. Ao contrário do afresco, a tinta aquarela foi muito utilizada em Veneza, além de Florença, na Itália. As primeiras evidências ocidentais de seu uso surgem com Tadeo Gaddi, discípulo de Giotto. Aliás, ele foi um artista muito importante para a técnica do afresco na Europa medieval. Gaddi viveu até 1366 e produziu muitas obras aquareladas em papel tipo pergaminho.

Assim, a partir da difusão da técnica por todo o continente, surgem grandes nomes da arte aquarelista. Certamente, de todos os grandes artistas que surgiram, William Turner foi o mais importante de todos. Ele possui o título de maior aquarelista de todos os tempos!

popularização da tinta aquarela
Foto: Quadro de William Turner/Reprodução

Como é feita a tinta aquarela?

Desse modo, a maioria das tintas aquarela seguem a composição básica:

  • Goma arábica (retirado da seiva da árvore, funciona como um aglutinante para fixar a cor sobre o papel);
  • Pigmento colorido;
  • Agentes umectantes (como mel ou xarope de milho);
  • Glicerina;
  • Outros aditivos que variam de acordo com o fabricante.

Pigmentos da tinta aquarela

A grande diferença entre os tipos de tinta aquarela está na concentração e no tipo de pigmento. Obviamente, quanto mais pigmento e maior qualidade, melhor será a tinta. Os pigmentos podem ser separados em dois grandes grupos (inorgânicos/orgânicos e naturais/sintéticos), totalizando 4 tipos:

1. Naturais inorgânicos

São pigmentos antigos e basicamente feitos à partir de metais e minerais extraídos diretamente da natureza. Em seguida, eles são moídos, transformados em pó, e por fim misturados ao resto dos componentes. Além disso, a tinta obtida geralmente é mais granulada e não costuma ter as cores mais vivas e ricas. A linha Primatek da marca Daniel Smith, por exemplo, é integralmente composta por esse tipo de pigmento.

Daniel smith
As tintas Prima Tek da Daniel Smith, feitas à partir de pigmentos naturais inorgânicos

2. Sintéticos inorgânicos

Também produzidos a partir de metais e minerais, porém a partir de processos químicos. Isso garante um controle maior sobre as características do pigmento

3. Naturais orgânicos

Novamente, são pigmentos naturais extraídos de vegetais ou animais (vamos falar mais sobre isso daqui a pouco). No entanto, por serem orgânicos, são pigmentos menos estáveis e possuem menor resistência à luz e durabilidade da cor.

4. Sintéticos orgânicos

Os pigmentos são extraídos de subprodutos de petróleo. Sendo assim, conseguem reproduzir muito bem as características dos pigmentos anteriores (naturais orgânicos) com mais estabilidade.

Profissional ou estudante?

tinta aquarela para estudantes e profissionais

Assim como os acrílicos, você pode comprar tinta aquarela na qualidade de artista e qualidade de estudante. Aquarelas de artistas têm uma concentração mais alta de pigmento, que é finamente moído e possui altas classificações de permanência. Por outro lado, as cores dos alunos podem conter pigmentos mais baratos, além de mais cargas e extensores.

Portanto, os aditivos e pigmentos utilizados na composição das tintas aquarelas determinam se elas são profissionais ou não. Veja as diferenças entre elas:

Tinta aquarela profissional

Ela é feita de pigmentos de alta qualidade, naturais e sintéticos. As tintas aquarelas profissionais são mais caras, mas a diferença na intensidade da cor e na expansão da tinta são notáveis. Também possuem mais resistência à luminosidade e permitem mais controle. Na nossa opinião, valem muito à pena visto que duram bastante. Algumas marcas conhecidas são: Winsor & Newton Professional, White Nights e Turner Colour Works.

Tinta aquarela semiprofissional (ou de estudante)

Essas aquarelas são feitas com ingredientes similares às profissionais, mas com substituições por pigmentos mais baratos ou com menos aditivos. É aqui que tudo fica meio nebuloso. Algumas marcas são boas, outras nem tanto. Além disso, os preços não necessariamente acompanham a qualidade. O maior custo benefício fica nas linhas voltadas a iniciantes como os kits aquarela Pentel (disponível em tubos e pastilhas) , as aquarelas Sakura Koi e as aquarelas Daler Rowney (ambas disponíveis em lindos estojos para viagem).

Tinta aquarela escolar

Esse tipo é feito com pigmentos sintéticos mais econômicos ou corantes. Sendo assim, a grande vantagem é que essas aquarelas são muito baratas e recomendadas para crianças.

Tinta aquarela: bisnaga ou pastilha?

Existe uma diferença significativa entre aquarela em pastilha ou bisnaga e a escolha do formato correto é fundamental para sua experiência fluir bem.

Bisnaga (ou tubo)

tinta aquarela em tubo

Uma vez que as aquarela em tubo tem uma concentração maior de pigmento, elas proporcionam cores mais vibrantes que as de pastilha. Você pode encontrá-las em quantidades diversas (5ml, 8ml e 24ml).

Por outro lado o ponto negativo é a necessidade de utilizar um godê ou paleta para colocar a tinta, e os cuidados adicionais na conservação dos tubos para evitar que a tinta seque.

A tinta aquarela em bisnaga é ideal para você que:

  • Quer mais intensidade nas cores;
  • Quer fazer trabalhos maiores e em maior volume;
  • Dica: A maioria das tintas em tudo podem ser “transformadas” em pastilha quando secam. Ou seja, você pode reativar a tinta novamente com água. 

Pastilha

pastilha

As aquarelas em pastilha são sólidas, isto é, são secas ao toque e sua apresentação é em forma de pan (pastilha inteira) ou de half pan (meia pastilha), muitas vezes dentro de estojos. Essa aquarela é mais seca, então é necessário utilizar um spray de água para umedecer a paleta antes, e um pouco mais de água durante o uso.

A tinta aquarela em pastilha é ideal para você que:

  • Quer praticidade no transporte e conservação;
  • Pinta em tamanhos pequenos;
  • Gosta de praticidade (os estojos podem ser levados a qualquer lugar);
  • Dica: Você pode optar por comprar as pastilhas avulsas ou em estojo. Se pretende transportar, é bem interessante escolher um estojo pequeno, com suas cores preferidas.

Principais características da tinta aquarela

características da tinta aquarela
  • Transparência: Essa é a propriedade mais conhecida das tintas aquarela. É assim que conseguimos sobrepôr cores e, assim, formar novas cores totalmente únicas.
  • Opacidade: As tintas aquarela de cores opacas não permitem que a luz passe através do pigmento, e sua mistura é o que chamamos de “mistura suja”. O ideal é utilizá-la em camada única.
  • Capacidade de Adesão: É o que permite o pigmento fixar ou não no papel.
  • Permanência: É a vida útil da aquarela, ou seja, quanto tempo o pigmento sobrevive no papel. Quando as cores alteram ou somem com o passar dos anos é porque o pigmento possui pouco grau de permanência.
  • Granulação: Por fim, esse é o efeito natural de texturas. Ele acontece porque os pigmentos entram em contato com a água e formam pequenos grânulos. Essa propriedade é excelente para criar diferentes texturas na pintura.

Bom, agora que você já sabe TUDO sobre a tinta aquarela, já pode colocar a mão na massa, certo? Portanto, não se esqueça de levar em conta seu nível de conhecimento, tipo de efeito e a qualidade que quer ter em suas artes para adquirir a aquarela ideal. Aliás, não deixe de conferir nosso post sobre pincéis para assim complementar suas aquarelas.

Para adquirir as aquarelas que falamos por aqui e outros materiais relacionados é só acessar a loja online da Dezáina.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais