Sintético ou natural? Saiba como escolher seu pincel para pintura

A escolha dos materiais pode ser a tarefa difícil, mas estamos aqui pra te ajudar (e fazer com que você gaste seu tempo criando, e não se preocupando com a escolha dos materiais, não é?)

Um bom artista deve conhecer suas ferramentas para utilizá-las da melhor forma. Assim como vimos a diferença dos tipos de tintas aquarela, o artista deve levar diversos fatores em consideração na hora de escolher um bom pincel para pintura. Desse modo, cada técnica é única e pede instrumentos diferentes para trabalhar – pincéis, tintas, papéis, canetas, lápis, carvão… o céu é o limite!

A escolha dos materiais pode ser a tarefa difícil, mas estamos aqui pra te ajudar (e fazer com que você gaste seu tempo criando, e não se preocupando com a escolha dos materiais, não é?)

Pincéis sintéticos e naturais

As cerdas dos pincéis podem ser sintéticas (geralmente de filamentos de nylon) ou naturais (feitas com pelo de animais, como marta, doninha, orelha de porco, esquilo, quati e camelo).

Naturais

Os pincéis naturais se destacam por serem mais macios e leves. Proporcionam um movimento mais fluido e suave, porém menos definidos. Além disso, o modelo de cerdas naturais também tendem a ser mais caros e menos resistentes que os sintéticos. Geralmente esses pincéis são feitos com pelo da cauda de marta ou esquilo.

Sintéticos

Os pincéis sintéticos são feitos de nylon e se caracterizam por serem mais resistentes, quando comparados às cerdas naturais. Ao contrário dos naturais, os pincéis sintéticos são menos flexíveis e proporcionam maior controle para o artista sobre o material, resultando em um movimento bem mais preciso, Outra grande vantagem desse tipo de pincel é ser cruelty free.

Como diferenciar?

Além da diferença do preço, trouxemos aqui algumas dicas para você saber diferenciar os pincéis na hora de comprar:

O pincel sintético é:

  • Mais firme, proporciona mais controle e movimentos mais diretos;
  • Geralmente as cerdas são mais grossas;
  • Demora mais pra secar;
  • Mais lisas.

O pincel de cerdas naturais é:

  • Mais macio, pintura mais suave. Os traços podem não ter tanta precisão quanto o pincel sintético;
  • Textura de cabelo quando entra em contato com a água, ficam mais cheios;
  • Carregam maior quantidade de água e tinta, e por mais tempo;
  • Costumam ser mais finos;
  • Secagem mais rápida.

Pincéis ideais para cada técnica

Foto: Pixabay

Aquarela

Sem dúvidas, o queridinho dos artistas de aquarela é o pincel de pelo de esquilo. Esses pincéis absorvem bastante água e são bastante flexíveis. Por ser um pincel extra fino, dobra facilmente e permite diferentes traços, de acordo com a pressão aplicada sobre o pincel. Então, caso o artista opte por usar um pincel sintético, é necessário escolher um pincel mais maleável.

Acrílica

A técnica com tintas acrílicas utiliza solvente, que pode danificar as cerdas naturais, então é necessário tomar muito cuidado com a escolha do pincel. A Dezáina recomenda o uso de cerdas sintéticas, que são mais resistentes e terão uma vida muito mais longa para esse tipo de técnica.

Pintura a óleo

Os artistas que pintam a óleo se dividem quando o assunto é pincel. Alguns preferem os naturais, com pelos de marta – são macios, ideais para acabamentos suaves. Os que optam pelo pelo sintético prezam pela durabilidade e pelo preço do material.

Formatos dos pincéis artísticos

Além da escolha certa das cerdas, de acordo com a técnica que você vai utilizar, a escolha do formato é essencial.

Redondo: mais preciso, deixa rastros de tinta, usada para contornos ou retoques.

Chato: espalha bem a tinta e cobre uma área maior, usada para fundos e texturas.

Língua de gato: combina o efeito chato e redondo em um pincel só, são ótimos para esbatimento e pintura figurativa. É o mais versátil!

Leque: arrasta a tinta de forma sutil, ótimo para criar folhagens e fazer efeito borrado.

Trincha: bem largo, utilizado em obras grandes.

Fino: detalhes

Tamanho

Pode parecer óbvio, mas além de otimizar seu tempo, é imprescindível escolher o tamanho certo de pincel. Basicamente, recomendamos que você tenha pelo menos três tamanhos diferentes para começar e ter liberdade na hora de pintar:

  • Um pequeno, número 2 ou 3, para detalhes;
  • Um médio, número 5 ou 6;
  • Já o grande, número 10 ou 11, para pinturas maiores e fundos.

Qual escolher pincel escolher?

Foto: Pixabay

E agora, ficou mais fácil para escolher seus pincéis ideais? Então vai aqui um compilado de dicas finais:
Contudo, caso você seja iniciante, escolha por cerdas sintéticas: além de serem mais baratos e acessíveis, vão te proporcionar mais controle e precisão ao pintar. Será perfeito para você se habituar à técnica que escolher!

Então, se você não é iniciante mas quer um trabalho mais detalhado, com controle maior e sem imprecisões, escolha os pincéis sintéticos.

Para o artista de aquarela, sem dúvida a melhor escolha será investir em pincéis de cerdas naturais. O traço desses pincéis são únicos! Então compre seu pincel aqui.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais