Hahnemühle Leonardo: vale a pena o investimento?

No post de hoje, a Emmy vai falar sobre o Hahnemühle Leonardo acetinado. A busca pelo papel ideal começou quando ela aprimorou suas habilidades em lápis de cor e deu início ao domínio da aquarela. Então, para isso, era necessário um papel resistente e que aceitasse as diferentes camadas e pressões com lápis de cor, mas que também tivesse as características adequadas para fazer as técnicas aguadas. Ela testou diversas marcas e o papel de hoje foi um dos queridinhos. Quer saber mais? Então não deixe de acompanhar o post até o fim.

Papel Hahnemühle Leonardo

Essa linha de papeis conta com a maior gramatura comercializada pela marca, que é de 600 g. Ou seja, ela tem o dobro de espessura dos papeis de outras linhas que a Emmy tinha usado e isso já causou uma ótima primeira impressão.

O papel possui 3 texturas: rough surface (áspero), matte surface (grão fino) e hot pressed (acetinado ou “satinado”), sendo ideal para trabalhos profissionais com aguada, aquarela, guache e acrílica.

Além disso, o fabricante ainda informa que esse é um papel extremamente resistente à luz e ao tempo, feito de 100% de algodão e livre de ácidos. Os blocos possuem diversos tamanhos, além de folhas avulsas em formato grande.

Os blocos são colados dos 4 lados e por isso não há necessidade de colar a folha em uma prancheta com fitas (algo muito comum de ser feito com papeis de gramaturas menores para não enrugar com a água). Sendo assim, a folha fica totalmente presa e quando terminar a pintura, basta remover com um estilete no local indicado.

Hahnemühle Leonardo
Pintura finalizada em lápis de cor e aquarela, no papel Hahnemühle Leonardo acetinado. Foto: Hartn.me

Considerações sobre o papel Hahnemühle Leonardo

Segundo a Emmy, esse é o papel de aquarela mais liso que testou até hoje e perfeito para usar com lápis aquareláveis. No entanto, por ser tão liso, não recomendamos para iniciantes em aquarela. Isso porque, ele acaba evidenciando todas as “falhas” da aguada e seca mais rápido se comparado com outros papeis com textura moderada.

No começo, a Emmy contou que sentiu muita dificuldade para deixar a aguada bonita, mas que com muito esforço ela dominou essa técnica e mesmo depois de tanto tempo, ele ainda continua sendo seu papel favorito.

Outro ponto importante é que o desempenho do papel com o lápis foi realmente bom, sendo possível apagar normalmente sem estragar o papel. Obviamente, não é interessante fazer nada exagerado, como pagar repetidas vezes o mesmo lugar e com muita força. Mas com o sketch planejado, é possível passar para o papel sem medo. Inclusive, ele ainda aceita um bom número de camadas de lápis de cor, permanecendo quase intacto, o que é ótimo.

Avaliação final

Para quem quer investir em um papel profissional, quando os intermediários já não rendem os resultados esperados, a Emmy indica esse papel. Ainda que não sejam baratos como folhas de sulfite, os blocos têm um preço justo pela sua resistência e gramatura.

  • Textura: perfeitamente lisa
  • Facilidade pra esboçar:
  • Resultado da aguada:
  • Resultado do lápis de cor:
  • Preço:
  • Compraria: SIM

A Emmy usa o Hahnemühle Leonardo há mais de três anos e ela o considera como um dos melhores papeis para realismo em técnica mista. Então, se você se interessou, adquira agora mesmo seu bloco na loja da Dezáina.

Até a próxima!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais