Flores de papel crepom com Copic com Marisa Tatibana

No post de hoje convidamos a @marisa_tatibana para ensinar como fazer flores de papel crepom com Copic, é claro, e contar um pouco mais sobre o florismo com crepom.

Entendendo o que é florista de crepom

O que é ser uma florista de crepom? De onde veio a paixão pelas flores de papel crepom?

É fazer flores com um dos papéis mais incríveis que existe: o crepom italiano! Imagine um papel que pode esticar mais de 260% o seu tamanho original, se curvar conforme o comando dos seus dedos e poder trazer o realismo de uma forma espetacular?!  E essa paixão veio depois de trabalhar com outros materiais. Portanto, conhecer esse papel foi um divisor de água em minha vida!

Flores de papel crepom: técnicas e referências

Existe alguma técnica específica que não pode faltar? Pode ser considerada como Paper Quiling?

As técnicas são simples e basicamente cortar as partes das flores através de um molde modelar e montar. Eu acredito que no Paper Quiling o papel é diferente então não a considero como sendo a mesma arte.

Quais são suas maiores referências dentro dessa arte?

Gosto muito dos trabalhos da americana Jessie Chui, do italiano Andrea Merendi e Lynn Dolan. A lista é gigante, muito difícil escolher pois cada artista trafega em estilos únicos e diferentes.

Materiais para fazer flores de papel crepom

Sobre materiais, qual a importância da escolha do papel crepom? Existe um específico para essa prática?

Existem vários fornecedores de crepom no mundo todo (italiano, alemão, chinês e americano). Mas o que reina absoluto é o crepom italiano da marca Rossi. O catálogo é incrível, além de oferecer mais de 100 cores e gramaturas diferentes (40, 60, 90, 140 e 180 gramas). Mas, infelizmente aqui no Brasil só encontramos o de cores sólidas de 140g, metalizados e degradês de 180g. O crepom do Brasil que chamamos de nacional ou escolar não tem elasticidade e acredito que não ultrapasse 35g. Além disso, fora o papel crepom italiano, você só vai precisar de cola branca, tesoura e arame de artesanato e já consegue fazer flores espetaculares como Rosa, Peônias, Azaleias e Crisântemos.

Como descobriu a usabilidade dos marcadores Copic dentro do seu processo criativo? Ela facilitou na produção do produto?

Eu acompanhava muitas americanas e asiáticas que traziam um realismo surreal em suas flores. Um degradê diferente, cores que deixavam as flores no topo de qualidade. Foi então que descobri que elas usavam os marcadores Copic em seus trabalhos! De longe, é a melhor forma de tingir este papel pela sua praticidade, intensidade e variedade de cores.

Qual é a sua cor indispensável de Copic?

Indispensável sem dúvida nenhuma é a caneta 0. É por ela que faço meus degradês e depois os que transitam nos verdes e marrons (para folhas) e os vermelhos (em especial a R22).

Quais as cores que indicaria para quem deseja começar essa arte?

A Caneta 0 para os degradês, verde e marrom para as folhagens e tons de vermelho ou rosa para as pétalas.

Produção de flores de papel crepom

Quanto tempo demora para a produção de uma flor? E de um arranjo?

Depende. Para flores complexas como uma Protea King por exemplo, posso levar semanas para fazer. As mais simples, como a Cosmos, por exemplo, em algumas horas. Um arranjo vai depender da flor mas muitas artistas o fazem mesclando flores secas ou folhagem natural. É incrível saber que com o crepom italiano podemos fazer um buquê de uma flor que não se acha no Brasil ou que, por motivos de pouca durabilidade, não é usado em arranjos de casamento. Isso só é possível com esta arte.

Para quem deseja entrar nesse universo, quais as possibilidades de produção?

Se quer fazer em grande escala (vitrines, mimos para casamento, decoração de festas, etc) eu sugiro fazer flores mais simples pois leva um certo tempo para produzir. Mas, se quer transformá-la numa peça única, eu as coloco em cúpulas de vidro ou caixas de acrílico. Ainda é possível enquadrar e deixá-la como um item personalizado de decoração. Além disso, já fiz Headpiece floral (aqueles arranjos para cabeça) de atrizes de televisão ou peças para editoriais de revista. As possibilidades de produção são gigantescas.

Flores de papel crepom e Marisa

Como fazer essas flores impacta em seu bem-estar?

Fazer flores de crepom para mim significou a minha cura. Graças a esta arte consegui me livrar da TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada) com o cultivo do meu bem-estar. Além disso, minha memória foi turbinada pois aprendi a me focar melhor pelo gás que damos na concentração.

Foi um aliado na pandemia?

Sim! Repito sempre para as minhas alunas ou seguidoras que começaram a fazer Flores de Crepom na Pandemia: é um caminho sem volta! Muitas delas começaram por hobby, por estar mais em casa e hoje, já fazem disso uma renda extra ou até como uma forma de se reconectar.

A arte de Flores de crepom por ser tão próxima do meio ambiente, reduz o estresse bem ao estilo de vida japonesa denominado “shirin-yoku” (experimentar profundamente a natureza).

Processo criativo

Qual a parte que mais gosta de fazer em seu processo criativo?

É quando vou buscar uma flor mais difícil que última produzida. Nela encontro flores naturais inimagináveis. Uma vez fiz uma viagem de Motorhome por um dos desertos mais extremos do mundo: o Vale da Morte (Death Valley), que fica no leste da Califórnia dos Estados Unidos. E lá, eu vi que existem flores sensacionais que nascem no verão onde a temperatura pode atingir 50 graus!

Para quem você indica essa arte?

Para quem ama o artesanato de papel e flores. Não existe a ideia de que somente quem tem dom consegue fazer. A VONTADE sempre fala mais alto.

Existe alguma relação com Ikebana?

Em partes. Tem uma florista de crepom brasileira chamada Lea Tande que aliou o artesanato de Flores de Crepom com o Ikebana. Acredito que são duas artes diferentes, mas que podem ser unidas para formar lindas esculturas florais.

Como fazer Flores de papel crepom com Copic

A técnica que vamos ensinar hoje é o degradê, então pegue seu crepom e marcados para colocarmos a mão na massa!

Basta pegar o papel crepom e pincelar com a Copic de sua preferência. Lembrando que cada vez que você faz uma camada de tinta, a parte que está por cima fica mais escurecida, formando assim o degradê.

Após colorir, com o auxílio de um arame, criar vida as suas flores.

 

Confira mais do trabalho da Marisa e seus cursos em seu instagram: @marisa_tatibana 


Comente aqui o que achou dessa técnica. Até a próxima! 

3 Comentários
  1. Gislany Diz

    Conheço o trabalho da Marisa há muito tempo, ela é maravilhosa, criativa e muito caprichosa nos seus trabalhos.
    Parabéns pela entrevista 👏🏽👏🏽👏🏽

  2. Gislany Diz

    A Marisa é uma excelente profissional.
    Conheço o trabalho dela há muitos anos.
    Parabéns pela entrevista 👏🏽👏🏽👏🏽

    1. Tami Benemini Diz

      O trabalho dela é incrível. Foi demais apreciar mais essa técnica com Copic.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais