Paper Quiling com Copic: Entrevista com Yoko Kogami

Yoko Kogami é uma das maiores referência em quilling art no Japão e seu trabalho pode ser visto em diversas peças publicitárias, capas de revistas e livros, onde também ensina e fala sobre sua arte. Yoko utiliza os marcadores Copic para conseguir infinitas cores de papel e concedeu essa entrevista para a Copic. Confira!

Yoko Kogami é uma das maiores referência em quilling art no Japão e seu trabalho pode ser visto em diversas peças publicitárias, capas de revistas e livros, onde também ensina e fala sobre sua arte. Yoko utiliza os marcadores Copic para conseguir infinitas cores de papel e concedeu essa entrevista para a Copic. Confira!

Copic: O que é Quilling?
Yoko Kogami: Quilling é uma forma de arte que usa tiras de papel enroladas, torcidas e coladas para criar projetos decorativos. Teve origem na Europa medieval e, durante o Renascimento, era usado por freiras e monges para decorar as capas de seus livros e itens religiosos. A especialidade de Yoko, o Quilling Botânico, é um gênero específico que explora as formas e texturas das plantas através do quilling.

Cores e formas feitas a partir do paper quilling com Copic.

C: Quando você começou a usar Copic? E o que te motivou a usar?

YK: Conheci a Copic quando estudava design. A escola que estudei forneceu um set de 36 cores da Copic Classic como material de estudo. Mais tarde, tive contato com os marcadores quando trabalhava como  ilustradora em um escritório de design, fazendo um catálogo de produtos relacionados à artesanato. Fiquei impressionada com a qualidade. Naquela época, os marcadores existentes não eram compatíveis com a tinta das fotocopiadoras, e borravam as linhas impressas no papel. A Copic foi o primeiro marcador a não borrar com as tintas das fotocopiadoras. Outro ponto é que com os marcadores da Copic fica muito fácil corrigir erros, e a tinta deles não demora muito pra secar igual a aquarela.

A mestre do Botanical Quilling, Yoko Kogami.

C: Quando você começou a usar a técnica do paper quilling?
YK: Um dos itens de destaque naquele catálogo era um kit feito à mão com paper quilling. Fui escolhida para fazer os exemplos para que os clientes pudessem entender o que é o paper quilling, e como se pareceria a peça pronta. Continuei fazendo os exemplos, e graças ao sucesso de uma apresentação feita por meu chefe, pude publicar dois livros sobre paper quilling.

A delicadeza e complexidade do trabalho da artista.
 

C: Você já usava Copic nessa época?  
YK: Não. Isso foi antes de começar a usar Copic. Usava papeis coloridos próprios para o paper quilling.

C: Como você começou a usar Copic?  
YK: Eu usava papel importado, as cores eram muito vibrantes e não transmitiam a sutileza que eu queria passar. Assim, tentei usar os papeis coloridos japoneses, que tinham uma maior variedade de cores. Depois de conhecer a Copic, passei a colorir o papel, e podia criar infinitas cores e a atmosfera que eu queria. Amo a Copic pela versatilidade de combinar as cores. Além de ser muito fácil de usar e de cuidar.

C: Você tem uma cor favorita de Copic?  
YK: Gosto de cores que representam bem a beleza das plantas. Gosto da V000 ou BV00 para pintar as flores. YG01, YG11 e G82 são as minhas preferidas para pintar as folhas. Ah, e a G40 também, não poderia me esquecer dela. Recentemente estou gostando bastante da YG03 também.

C: Como você usa Copic em seus projetos?  
YK: Não uso apenas uma cor, misturo mais de uma na maioria dos casos. Ultimamente, para representar o vintage estou misturando camadas de cores brilhantes com cores pálidas. Por exemplo,  a esquerda pintei a folha apenas com o YG01, na folha da direita usei o YG01 como base e depois passei o V000. Podemos ver a diferença entre os dois.

A mistura de cores é o ponto chave para o trabalho da Yoko.

C: Parece que a folha a direita tem tons mais suave de verde…

YK: Como você pode ver, a técnica de pintar em camadas traz um senso de profundidade e de suavidade das nuances. Pode ser difícil de entender esse efeito olhando apenas para uma parte, mas uma vez que todas as partes se combinam para formar um trabalho, no conjunto todo você vai ver que essa técnica faz uma diferença tangível.  

C: Como você escolhe o papel? Qual é o tipo que você mais gosta?
YK: Estou usando um papel japonês feito para aquarela. Escolhi este especificamente depois de ir na loja e tocar em todos os papeis da prateleira. Como o papel para aquarela é quase branco e um pouco texturizado, para o meu trabalho ele tem suavidade e espessura adequadas. E é claro que ele funciona muito bem com a Copic pois permite uma coloração pura.

Delicadeza e detalhismo em todas as formas e técnicas.

 
C: Você tem alguma técnica ou método desenvolvido por você?
YK: Não é uma técnica criada por mim, mas aplicar as cores em camadas é o elemento mais importante e essencial para meu trabalho. Não precisa dar muita atenção para as flores porque elas já tem formas intrincadas que chamam atenção. Já as folhas nunca ficam boas se não melhorar o apelo colorindo a partir de camadas.Controlo a velocidade de aplicação de cores para criar uma diferença sutil na cor da sombra de cada folha. Por exemplo, se eu aplicar a tinta lentamente, o tom de cor ficaria mais escuro. A ordem de aplicação das cores também influencia. A combinação dessas técnicas dão naturalidade e profundidade para meu trabalho.

C: Você desenha o projeto antes de começar a criá-lo?
YK: Primeiramente, tento reproduzir minha ideia em desenho digital. Depois faço um mapa de cores, e determino rigorosamente a coloração para cada parte, para que não haja dúvida sobre as cores quando eu já tiver criando. Só passo para o processo de criação quando acho um equilíbrio de cores que me agrade. A cor é o elemento mais importante do meu trabalho, de modo que fazer um mapa de cores é  uma espécie de requisito antes de iniciar cada projeto. Antes de começar a usar Copic, estava limitada pelas poucas opções de cores de papel, a Copic me da liberdade em termos de recriar com precisão as cores que planejei.

Mapa de referências criado por Yoko para facilitar a escolha das cores.

C: Entendemos exatamente o que você está falando. Sua paixão por cores é incrível.
YK: A cor de cada folha é diferente. Represento a diferença sutil ao combinar as cores mais claras como 00 e 000. Claro que o tipo de papel e a sequência de trabalho também afetam o resultado final. Por exemplo, a cor do mesmo marcador fica diferente dependendo do tempo de aplicação (se eu enrolo o papel antes ou depois de pintar).

C: Cada um deles tem sua própria peculiaridade.
YK: Sim, e a Copic é um item indispensável para expressar as imagens que estão em minha cabeça.

A arte de Yoko vai além do papel plano. Que incrível isso!

C: Qual sua mensagem pra Copic?
YK:A Copic me ajudou a criar meu próprio estilo. Não poderia ter chego onde cheguei sem ela.


E pra finalizar, separamos um vídeo que mostra o passo a passo do trabalho da artista. Confira!

Se gostou deixe seu like, seu comentário e compartilhe!

Para saber mais sobre o trabalho da Yoko, veja os links abaixo:
http://kogamicraft.tumblr.com
http://www.instagram.com/kogamicraft/

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais