Concursos de Design de mobiliário: Entrevista com Renan Albano

Renan Albano é Designer de Produto que coleciona produtos assinados para grandes marcas como Tok&Stok, Chilli Beans, MARVEL e ALOK. No post de hoje ele dá dicas incríveis para você que deseja participar de concursos ou quer ser designer.

A gente sabe que muita gente curte participar de concursos. Afinal, por mais que você não fique em primeiro lugar, a experiência e conhecimento são de grande valia. Então, para te inspirar, o post de hoje é uma entrevista com Renan Albano. Ele é Designer de Produto e coleciona produtos assinados para grandes marcas como Chilli Beans, MARVEL e ALOK. Além disso, seus projetos já conquistaram diversas indicações e premiações de concursos de design de mobiliário. Alguns deles são dois Prêmios Tok&Stok de Design, Prêmio Salão Design, Brasil Design Award e Ouro no Prêmio Bornancini.

Concursos de Design Mobiliário
Renan Albano

O designer conta que a arte do desenho à mão sempre esteve presente na sua vida e suas criações são marcadas pela funcionalidade e pela experimentação de diferentes sensações e materiais. Então, conheça um pouco mais sobre ele na entrevista abaixo:

Referências

Onde e como busca referências? Como se inspirar sem plagiar?

Um dos principais atributos para se destacar na profissão é ter boas referências. Sendo assim, um designer de produtos deve se manter atualizado com tudo que está acontecendo no setor criativo. Então, na minha rotina, gosto de ler muito sobre moda, cinema, arquitetura, concursos de design, tecnologia, arte e decoração. Também gosto de visitar feiras e exposições além de consumir talks e podcasts sobre design e comportamento. Além disso, com as redes sociais, existem diversas plataformas que podemos usar a nosso favor, como:

  • Pinterest;
  • Instagram;
  • Behance;
  • WGSN;
  • FFW;
  • Designboom;
  • Design Milk.

É importante lembrar que um designer deve consumir muito além do escopo tradicional. Ou seja, devemos estar atentos às mudanças da sociedade e inteirados nos mais diversos assuntos.

Na segunda questão, como criar sem plagiar, acredito que o segredo esteja no planejamento do processo criativo. Afinal, um produto não nasce do dia para a noite. O planejamento requer cuidado, paciência e muito empenho. Sendo assim, veja o material de consulta como agente motivador e não como uma regra a ser seguida.

Aproveite e veja nosso post falando sobre plágio clicando aqui.

Concursos de design de mobiliário e consumidor

Quais são as principais perguntas que seu design deve responder?

É preciso entender que projetar exige um rigor conceitual e um grande embate à procura do novo. Ou seja, algo que surpreenda os jurados e o consumidor final. Dessa forma, é fundamental compreender profundamente o briefing de cada concurso e apresentar soluções alinhadas às expectativas de cada edição.

Então, sempre começo destrinchando o tema principal do concurso, aquele que carrega o nome de cada edição. A partir disso, listo algumas questões que meu projeto deverá contemplar.

  • Está alinhado aos valores e ao DNA de design da marca?

A Tok&Stok por exemplo, destaca nos regulamentos dos concursos algumas palavras-chaves dos seus produtos. Por exemplo, minimalismo, pronta retirada, fácil montagem, design jovem e atemporal são algumas delas.

  • É viável produtivamente e comercialmente?

Antes de fechar uma ideia, pesquiso quais máquinas e processos serão necessários para a fabricação em massa do meu projeto. Também me atento ao portfólio de produtos e às soluções que já existem hoje na loja.

  • Como o móvel interage no dia-a-dia do cliente? Qual o perfil e as necessidades do meu público alvo?

Nessa fase, converso com várias pessoas, preparo um material de estudos e reflito como meu móvel pode impactar positivamente a rotina do meu público em potencial.

  • Qual o diferencial do meu projeto?

Aqui é uma discussão ampla. Não me prendo apenas ao mérito de apresentar um desenho singular, busco sempre trazer atributos sutis e narrar uma história através do meu design. Por isso a importância de se manter atualizado e ter boas referências.

O designer é sobretudo um contador de histórias. Cada sketch deriva de um amplo processo de emoções e tecnicidades que somadas geram um produto.

Entrevista com Renan Albano
Banquinho Caiaque – design de Renan Albano, primeiro lugar no Premio Tok & Stok de Design Universitário 2017

 

Mitos de concursos de design de mobiliário

Quais são os principais mitos de concurso que você acreditava antes de participar?

Lá no meu primeiro ano de faculdade, lembro que descartei todas as oportunidades de  participar de concursos de design. Tinha receio do que os jurados iriam pensar sobre meu trabalho e como iriam me julgar. Besteira. Afinal, a evolução pessoal e profissional que cada concurso me trouxe é impagável.

Quais foram os principais aprendizados nesses dois concursos que venceu que hoje você daria para quem quer participar?

Uma das principais etapas na construção de um projeto é a apresentação. Os jurados corrigem centenas de projetos em um só dia, por isso, é indispensável que suas pranchas se destaquem na hora da avaliação. Confira algumas dicas:

  • Mantenha unidade gráfica entre as lâminas;
  • Trabalhe com o mínimo de textos;
  • Represente graficamente todos os atributos do seu projeto. Por exemplo, sempre preparo uma montagem do meu móvel embalado dentro do porta malas de um carro. Dessa forma, comprovo rapidamente para os jurados um ponto positivo do meu projeto;
  • Trabalhe seu móvel em cenas ambientadas;
  • Deixe claro como funciona seu processo de montagem e quais são os componentes;
  • Não tente “recriar a roda” ou resolver várias problemáticas em apenas um móvel. Às vezes, uma proposta simples e sólida funciona melhor que um projeto disruptivo, porém inviável.

Enfim, todos esses feedbacks que aprendi nos concursos também são valiosos para a carreira de um designer de produto. Aplico cotidianamente todas essas estratégias no meu trabalho.

Importância dos feedbacks

Entrevista Renan Albano

Quais partes do projeto foram cruciais para você viabilizá-lo?

Com certeza foi receber feedbacks. Sempre comento a importância de ouvir diferentes opiniões na hora de projetar. Isso porque, a evolução só acontece quando saímos da nossa zona de conforto. Então, ouvir diferentes percepções (na maioria das vezes críticas) é essencial para repensarmos detalhes que passam despercebidos.

No projeto do banco Caiaque por exemplo, eu não enxergava como minha estrutura não estava bem resolvida para prototipação. Foi ouvindo especialistas que compreendi meus problemas e pude construir um projeto sólido. Sem os feedbacks, eu não teria chegado à premiação.

Dicas para filtrar ideias

Quais rituais ou dicas para conseguir filtrar melhor as ideias de design?

Antes de pensar em qualquer desenho, tenho meu processo criativo seguindo uma sistemática de planejamento.

A primeira etapa é a fase de pesquisa e racionalização das ideias. Sendo assim, estudo profundamente o tema e tento passar para o papel tudo o que penso relacionado; qual a problemática; as possíveis alternativas; os materiais empregados; as necessidades do usuário; entre outras questões. Mas, além da escrita, gosto de trabalhar com moodboards para ilustrar todos esses pontos.

A segunda etapa são os sketches. Não me prendo a uma primeira ideia. Ou seja, aqui meu objetivo é externar tudo o que me vêm à cabeça. Gosto de desenhar em folhas grandes e soltar o traço para criar alternativas e estudos rápidos.

Na terceira etapa problematizo as melhores ideias e reflito se minha abordagem está adequada ao tema e as questões que tenho trabalhado.

Então, na última etapa, afunilo as alternativas e desenvolvo uma ou duas ideias com sketches e renders. Por fim, uma ideia será eleita e desenvolvida detalhadamente.

É claro, como comentei antes, o feedback está presente em todas as etapas. Um designer não faz nada sozinho. E como dica, também comento para não se apegar a um desenho/produto. A evolução só acontece com a inquietação. Então, não fique frustrado em ter que recomeçar um processo.

Benefícios de participar de concursos de design de mobiliário

Qual a melhor parte de ter participado do concurso?

O processo de produção desses projetos foram surpreendentes. Projetar para uma demanda real e ainda ser agraciado com a premiação mudou minha carreira como designer e ampliou minhas percepções em especial sobre o meu processo, meu tempo, minhas limitações e potências.

Sempre que estou em contato com alunos de Design, enfatizo a importância que os concursos desempenham no aprendizado dentro e fora da sala de aula. Algumas vezes as matérias dentro das faculdades não exigem o rigor técnico de entrega de projeto como nas premiações.

Nos concursos, nós temos a oportunidade de projetar para um case real, com um corpo de jurados renomados e ainda ter a possibilidade de exposição e produção nacional. Tudo isso agrega mais que um título para a vida dos estudantes, é sobretudo um processo de maturação e aprendizado do que é ser um designer.

O que faria diferente se fosse participar hoje do concurso?

Me organizaria melhor na entrega final do projeto. Nas duas edições que participei da Tok&Stok, finalizei meu projeto na data limite de entrega, isso fez com que eu não tivesse mais tempo de revisar alguns pontos que eu gostaria de aprimorar nas minhas pranchas.

Então, uma dica para quem quer prestar concursos é começar o quanto antes a se planejar e se antecipar na finalização do projeto. Próximo a data limite, as plataformas congestionam e muitas pessoas não conseguem enviar seu trabalho.

Outra dica é selecionar quais concursos prestar e analisar quais se encaixam no seu momento. Leia atentamente todo o regulamento, pesquise as edições anteriores, converse com os premiados. Existem alguns concursos que exigem a propriedade intelectual do projeto mesmo que sua ideia não seja selecionada. Por isso, preste muita atenção em todas as considerações do regulamento.

O profissional designer

Como conciliar o design da marca e a minha identidade como designer?

Antes de começar um projeto para uma marca ou participar de um concurso, pesquiso se os valores se equiparam aos meus princípios como pessoa/designer. Busco selecionar aqueles que se encaixam no que acredito e onde eu tenha liberdade criativa para trabalhar alinhado à identidade de design da marca.

Qual o peso do ego para o designer?

Acredito que todas essas premiações evidenciam o meu constante interesse e minha paixão pela profissão, porém não considero que os títulos me tornam especial ou melhor que qualquer pessoa. Dentro das empresas, o que fará teu trabalho se destacar não será somente seu currículo, mas sim teu empenho em cada projeto, seus valores e suas referências.

As premiações me trouxeram uma bagagem enriquecedora de aprendizados e processos. Hoje tenho a ciência que design não se faz sozinho, as pessoas contribuem de diferentes maneiras para concretizar nossas ideias. Por isso, esses títulos não dizem só a mim, as premiações se tornaram detalhes na minha carreira, valorizo as pessoas que me permitiram chegar até aqui e que constroem diariamente a pessoa que sou.

Concursos de design de mobiliário

Então, agora que você pegou as dicas preciosas do Renan, dá só uma olhada nos concursos de Design de mobiliário que vão acontecer esse ano:

Prêmio Jovens Talentos 2021 Tok&Stok

De acordo com a própria página do concurso, ele procura por soluções inovadoras em mobiliários para residências brasileiras.

Quem pode participar? Estudantes matriculados nos cursos de Design de Produto, Arquitetura e Urbanismo, Design de Interiores e Tecnologia Moveleira de nível superior, reconhecidos ou autorizados pelo MEC. Além disso, profissionais de design, arquitetura e design de interiores recém-formados (formação em 2019 e 2020) também estão aptos a participar.

As inscrições e envio do projeto devem ocorrer até o dia 18 de junho de 2021 e no dia 30 do mesmo mês serão divulgados os 20 finalistas selecionados (10 estudantes e 10 profissionais).

Então, se você se interessou, saiba mais sobre esse concurso no site clicando aqui.

Concursos de design de mobiliário: Prêmio Salão Design 2021

Criado em 1988 pelo Sindicato das Indústrias de Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), esse projeto nasceu no coração da Serra Gaúcha com o intuito de atender às demandas do setor moveleiro referentes à inovação. Hoje em dia ele é conhecido internacionalmente e conta com uma grande participação de concorrentes da América Latina e acontece todos os anos.

Quem pode participar? Estudantes de cursos de graduação ou cursos técnicos, relacionados à área de design e arquitetura; e estudantes de pós-graduação, que devem realizar a inscrição na modalidade profissional. Por outro lado, a modalidade profissional abrange designers, arquitetos, estúdios ou escritórios de design e arquitetura. Indústrias, marcenarias e varejo também poderão se inscrever nesta modalidade, desde que possuam profissionais de design ou arquitetura que assinem a autoria do projeto.

As inscrições começam dia 14 de junho de 2021 e se encerram em 31 de agosto de 2021 às 23:59. Então, se quiser saber mais é só acessar esse link.

Prêmio de Design Instituto Tomie Ohtake Leroy Merlin

Essa é a 4ª edição do concurso e traz como desafio o tema Acolher. Ele tem uma proposta inovadora que abdica de categorias, criando um tema-desafio para estudantes universitários. A partir desse tema, projetos podem ser inscritos por universitários e recém-formados de qualquer área. Sendo assim, a ideia é premiar propostas que destaquem e concebam a relação do design com outras áreas, como arquitetura, biologia, engenharia, moda, tecnologia, economia, física, educação, matemática, química, entre outras.

As inscrições vão até o dia 31 de maio de 2021 e você pode acessar o site ou esse link para saber mais.

Veromobili 2021

O concurso Veromobili acontece todos os anos e irá abranger categorias estudante e profissionais. As inscrições vão até 24 de junho de 2021, mas você pode ter mais informações pelo site clicando aqui.

Museu da casa brasileira 2021

A tradicional premiação do Museu da Casa Brasileira, que acontece desde 1986, teve a 34ª edição interrompida devido à pandemia do Covid-19. Mas, agora em 2021, o Prêmio Design foi retomado com mudanças para viabilizar a programação. O principal objetivo desse concurso é reconhecer a excelência no design brasileiro e, portanto, incentivar seu fortalecimento e disseminação.

Quem pode participar? Podem participar da premiação, individualmente ou em grupos de até 15 (quinze) integrantes, pessoas físicas brasileiras ou estrangeiras residentes no país há mais de 02 (dois) anos. Ou seja, não é necessário ter nenhum curso na área!

As inscrições devem ser feitas exclusivamente pelo site de 20 de maio até 04 de agosto. Para acessar é só clicar aqui.

E então, curtiu o post de hoje? Você gosta de participar de concursos? Deixa aqui nos comentários!

Até a próxima!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais